dezembro 12, 2013
Pérolas preciosas de uma lesma distraída.

Todo dia, exatamente às 13 horas, saio para almoçar com uma amiga. Nesse dia, escolhemos almoçar em uma padaria que vende prato pronto. Chegando lá, escolhemos um lugar e sentamos. Papo vai e papo vem, garçom traz cardápio, leva cardápio, traz as bebidas e os pratos e eu e ela lá papeando que só. Passou uns minutos e, finalmente, a comida chegou. Pedimos bife e batata frita, uma delícia. Então, minha amiga começou a se servir e logo em seguida comecei a por a comida no meu prato também, colocando a comida e conversando, mais conversando do que colocando, mas ok. De repente notei que as batatas que eu colocava no prato, caiam sobre a mesa. Já estava ficando nervosa, BURRA NÉ PORQUE NEM PRA OLHAR PRO PRATO EU OLHEI, até que eu falei “Meu, não é possível!!! Que que ta acontecendo com essas batatas?????” ai quando olhei me dei conta que não tinha virado o prato do lado certo. :( Sim, rimos muito e o garçom também, mas eu acho que foi mais de ódio de mim, por que ele teve que ir limpar a bagunça de comida que eu fiz na mesa. Fiquei morrendo de vergonha e minha amiga dizendo “Meu, você não existe!! Você é muito lerda!”

Cheguei do almoço e ela contou pro meu chefe, ai ele riu muito e disse “Todo dia eu me pergunto como a sua mãe deixou você vir morar sozinha nessa cidade. hahahahahaha” 

E tudo o que eu posso dizer é: Geennnte, acontece!! Poderia ser com você também, mas infelizmente aconteceu comigo (pra variar, né). hahahaha

@reecardoso

dezembro 12, 2013

Anónimo disse: Onde estão os outros textos? Quero mais *-*

To escrevendo mais alguns agora 

dezembro 12, 2013

Anónimo disse: Tá faltando coisas aqui! kd as outras histórias engraçadas? e acho que tem coisa faltando nas histórias, alguns detalhes ! bjos sz

Vamos dizer que eu omiti algumas partes dessas histórias, não sabia se tinha autorização pra contar todo o ocorrido na época. hahaha 

julho 31, 2013
Complô no açougue.

Estou com uma vontade incontrolada de comer o frango com farofa da minha irmã, aquelas vontades de você fechar o olho e só imaginar o bendito frango. Sendo assim, mandei uma mensagem perguntando se ela poderia fazer hoje de janta e ela, sendo uma linda, disse "Ok, eu faço! Mas só se você for no mercado comprar as coisas" obviamente, não pensei duas vezes, me arrumei e fui toda felizona até o Pão de Açúcar (o que foi um erro, por que era muito mais longe, deveria ter ido no Extra, enfim…)

Cheguei no Pão de açúcar. Primeira vez que entrava lá. Odeio entrar em supermercado que não conheço, fico que nem barata tonta tentando achar as coisas. Horrível!

Depois de um tempo rodando, achei o açougue, esperei minha vez e o cara falou “Você, moça!” eu respondi bem educadamente "Oii! Eu queria 3 sobre-coxas e 2 coxas de frango, por favor! =))" ele deu uma risadinha e disse "Queria? Por quê? Você não quer mais? Por que você sabe que QUERIA é passado, né? No caso, você QUER." eu estava assim ??????????? e pensando "É impressão minha ou esse idiota tá me chamando de burra?????" O cara continuou falando, mas eu coloquei meu fone de ouvido e deixei ele falando sozinho, até que ele estendeu uma bandeja e falou "É isso que você quer, moça? Só que esse não tem osso" ai eu respondi "Isso é coxa e sobre coxa, certo? Então é isso mesmo!" ai uma mulher que estava atrás de mim se meteu e falou "Claro que não! Tem diferença, por que …." e ela começou a explicar e eu disse “Gente, eu não sei, só me mandaram vir aqui e comprar 3 SOBRE COXAS E 2 COXAS! Não me especificaram nada!!!!!!!” ai uma outra mulher, amiga daquela moça que se meteu no meio, se meteu no meio também e disse "Mas é só você ler o que tá escrito! Você sabe ler, né?" Eu só tirei meu fone, respirei fundo e disse "O QUE FOI QUE VOCÊ DISSE??" e ela me respondeu "Não. Calma! É por que eu não sei rs" ai a outra mulher disse "Calma, gente! Moça, vem aqui que eu te ajudo." 


Fomos até as prateleiras onde as carnes ficam em bandejinhas e ela disse "Você quer temperada ou sem tempero?" AHHHHHHH juro que eu estava quase sentando no cantinho do supermercado chorando e dizendo que eu não queria mais porra de frango nenhum!!!!! Claro que tive que ligar pra minha irmã, perguntar e ela me ajudou. Depois de longos 15 minutos, consegui comprar meu frango. 

Galera, cês tão achando que comprar frango é fácil, né? É não ow!! Pra você ir comprar, você tem que entender, sabe? Coisa que eu não sabia e que eu não sei. Mas enfim, o fato não é esse. O fato é que eu fui chamada de BURRA!!!!!! MEU, FALA SÉRIO!!! Fui chamada de burra duas vezes em menos de 15 minutos. Juro, muito pra mim! 

Mal sabem eles que eu só sou uma garotinha indefesa que estava indo comprar um frango pela primeira vez na vida. :( Mas ok, dá próxima vou no Extra. 

@reecardoso

julho 10, 2013
Desesperada na rodoviária.

Ok, sei que fiquei muito tempo afastada daqui e que vocês sentiram minha falta (deixem eu achar que sim, obg), mas eu to no tédio aqui, então pensei “Por que não escrever aquela história que aconteceu comigo lá em Abril, na época do famoso Posto de Monta?” Pois é, e cá estou eu. E, na boa, provavelmente, se minha mãe ler essa post, ela certamente vai querer me matar, mas o que me consola é que já faz um bom tempo que isso aconteceu, então acho que a bronca vai ser menos pior do que seria na época. Mas enfim, tudo começou…

No sábado, no Show do Jorge e Matheus, único show que eu fiquei livre para ir. Mas é claro que eu só iria depois do meu trabalho, pois (infelizmente) trabalho até às 14 horas. Todos sabem que minha condição financeira aqui é de dar dó e como combinado, minha mãe tinha depositado 20 reais na minha conta pra eu poder ir de ônibus, o que ela não sabia é que a passagem era R$22,05 e o que eu não sabia era que eu tinha apenas R$1,25 na minha conta do banco.

Sai da Universidade, vim pra casa, me arrumei e estava indo toda feliz pra rodoviária, até que chegou na catraca do metrô e o meu bilhete único não passou, mas um Sra. muito bondosa, passou o dela duas e eu pude embarcar. Cheguei na rodoviária, atrasadíssima, faltando apenas 5 min pro ônibus das 15:30 sair e é óbvio que não peguei ele, só fui conseguir passagem pros das 16:00. 

Enfrentei a fila que estava gigantesca, cheguei no caixa e disse “Uma passagem pra Bragança no próximo horário, por favor” e o cara me respondeu “às 16 hrs. R$22,05” ai eu pensei “PUTZ! Só tenho R$21,25 e agora?” ai eu logo respondi  ”E sem seguro é quanto? rs” ai ele “21,50” ai eu falei “Passa R$21,25 no cartão e eu te dou 25 centavos agora, moço hehe” VERGONHOSO CARA, EU SEI, MAS NÃO TINHA O QUE FAZER. Tá, né. O cara passou e me deu a maquina pra por a senha do cartão, ai eu fui lá e digitei ~~SENHA INVÁLIDA~~ segunda tentativa ~~SENHA INVÁLIDA~~ Não bastava eu passar aquela vergonha horrorosa, eu ainda tinha que ter esquecido a senha do cartão. Perguntei pro cara aonde ficava o banco mais próximo pra poder sacar o dinheiro, o que não adiantaria muito, por que iria ficar faltando um real, mas tudo bem. Ele me mostrou e eu fui correndo que nem uma louca com mala, bolsa tudo voando pelos ares.

Cheguei no caixa eletrônico e adivinhem? PÁ, bloqueei meu cartão. Ai vocês se perguntam “O que essa doida azarada vez pra vir embora?”. Acreditem, eu comecei a chorar que nem uma louca desvairada pela rodoviária, porque nem o bilhete único pra voltar pra casa eu tinha, né. Ele não estava passando. Até que no meio de tanta falta de sorte, me surgiu um pensamento “Vou pedir dinheiro na rodoviária ué” mas eu fiquei naquelas “Peço ou não? Cara é muita decadência, não vou pedir. É, mas se eu não pedir, minha mãe me mata, eu vou dormir na rodoviária e vou perder o show do Jorge e Matheus. Cara, dane-se a decadência, já to na merda mesmo. Renata, chora mais e inventa um drama, esquece a vergonha e VAI!!” 

Achei minha vítima. Um cara, boa pinta que tinha cara de bonzinho. Cheguei nele chorando, mal conseguia respirar e falei “Moço, me ajuda, por favor!!” ~~chorando, tipo soluçando~~ ai ele “Mas é claro, moça. Em que posso ajudar?” ~~chorando mais ainda, quase que nem falando direito~~ “É que assim… eu… eu.. não sou daqui, sabe? Moro em um cida..~~soluçando~~~dezinha aqui perto, e vim visitar a minha irmã que mora aqui, mas hoje… eu tenho que ir embora ~~chorando muito, tipo quase morrendo~~ mas eu acabei de bloquear o meu cartão com o dinheiro da passagem e eu não tenho como voltar pra casa. Moço, você pode me emprestar o dinheiro da passagem? ~~Não deixando que o moço falasse nada sem que antes eu terminasse minha triste história~~ Olha, o Sr. pega o meu número do celular, você me passa a sua conta do banco e eu te deposito assim que eu chegar lá, eu juro!” FIM DO DRAMA. O cara me olha e responde “Quanto é a passagem?” ai eu não chorando mais tanto como antes, mas ainda chorando, respondi “R$22.05” e o anjo me disse “Mas é claro. To eu de dou o dinheiro e você volta pra sua casa, tá? Fica de presente, não precisa me devolver.” Sério, sem explicação a sensação que eu senti naquele momento. Peguei o dinheiro dele e sai que nem louca até a bilheteria, finalmente entrei no ônibus e cheguei em Bragança.

Olha, eu normalmente não faço isso, tá? Mas eu me vi sem saída. Minha mãe obviamente me mataria se eu ligasse pra ela falando que eu tinha bloqueado meu cartão e que ela teria que vir pra SP me buscar. Tenho amor a vida. E sei que minha mãe brava não é muito legal, até mesmo por que é a cara dela falar “Se vira”, então eu apenas fiz o que ela me mandaria fazer caso quisesse me matar. Enfim, mãe não fica brava comigo, tá? Afinal, deu tudo certo no final, né? haha 

Galera, não façam isso, a não ser que vocês realmente não tenham escolha. 

@reecardoso

abril 7, 2013
Ingresso do show: R$ 60,00.
Entrar no show falando que somos da imprensa, ganhar entradas e estacionamento e ficar num lugar muito bom: não tem preço. 
É galera, o segredo de São Paulo é só um: ter contatos. HAHAHA 
@reecardoso

Ingresso do show: R$ 60,00.

Entrar no show falando que somos da imprensa, ganhar entradas e estacionamento e ficar num lugar muito bom: não tem preço. 

É galera, o segredo de São Paulo é só um: ter contatos. HAHAHA 

@reecardoso

abril 3, 2013
Prazer, Kelly e Gregory Cortez!

Quem nunca foi pra uma balada e conheceu um carinha ou uma moça e ao invés de contar a real história da sua vida, contou aquela vida que você  sempre sonhou em ter?

Pois então, a minha história de hoje se resume basicamente nisso. Eu, Renata Cardoso e o meu amigo lindo, Thiago Lemes, inventamos a maior história da vida em uma balada aqui em São Paulo. 

Eu estava em casa em mais um sábado entediante, até que o Thiago me chama pra ir dar uma volta pela Augusta. Topei. Quase 2 horas depois, nós estávamos a caminho de uma noite muito longa e engraçada.

Tivemos que fazer tudo a pé, né! Fomos até a Augusta de metrô e metade do caminho andando. No caminho, eu tive a brilhante ideia de montar a vida dos nossos sonhos e foi aí que tudo começou…

Primeiramente, os nomes. Kelly e Gregory Cortez, DA ONDE SURGIU? Kelly, esse nome foi o Thiago que me deu quando nós nos conhecemos em um fim de semana lá em Piracaia. Dá onde ele tirou e o por que? Perguntem pra ele, por que eu não faço isso a menor ideia e desde lá é “Kelly pra lá Kelly pra cá” Renata, nunca existiu. Já o Vinícius, tem uma explicaçãozinha. No mesmo fim de semana que a gente se conheceu, eu simplesmente não sabia que o nome dele era Thiago e eu só chamava ele de Vinícius, por que ele tem cara de Vinícius e eu cismei com isso e quando eu coloco algo na cabeça difícil me fazer mudar de ideia. Mas sabe o que era pior? É que ele me atendia por Vinícius sempre. (hahaha) Mas enfim, Gregory, GREGORY! Chique, né? Então, segundo ele, é um ótimo nome. Passa um sinal de riqueza no ar, gente chique, sabe? Ainda mais com um Cortez como sobrenome. Codinomes decididos: Kelly Cortez e Gregory Cortez.Grau de parentesco: Éramos irmãos. Morávamos sozinhos aqui em SP e fazíamos USP.

História mais do que pronta e decorada quando chegamos na Augusta. Logo já entramos em um barzinho e pedimos: Cerveja, dose de pinga com mel do Busca Vida e um Mojito (se escreve Mojito, mais se fala Morrito, ok? O Garçom teve a coragem de corrigir a gente af). Ficamos lá e fizemos um esquentinha. Mais tarde fomos andar e ver em qual baladinha iriamos entrar para contar a nossa incrível vida da qual levávamos em São Paulo. 

E PÁ!! Achamos. Gente na porta, galerinha bebendo, música agradável saindo de lá de dentro e a balada era OPEN de tudo o que vocês imaginam até as 5 horas da manhã. Cutuquei um mocinho da fila e perguntei “Moço, a baladinha ai é boa?” ele me respondeu meio enrolado “É sim, pode entrar!”. Entramos.

Lugar estranho com gente esquisita, sabe? Mas até que depois de um tempo o lugar ficou agradável. Aquele mesmo moço que estava lá fora e que disse que a baladinha era boa, veio atrás de nós dois e fez a seguinte pergunta “Vocês são casados?” A gente ria sem parar e eu disse “Não! A gente é irmão e ele é GAY! HAHAHA” Coitado, ele falava muito enrolado, não estava entendendo nada do que a gente dizia, ficava fazendo gestos, apontando com um dos dedos pro dedo que se usa aliança e fazendo um não com a cabeça, tipo? Depois de umas conversas bobas, colocamos a nossa história em prática “Sou Kelly, prazer!” “Oi! Greg, prazer!” nos enturmamos com a turma do moço da fila. Descobrimos que o cara não era do Brasil e tudo mais, ai tudo ficou mais simples ou menos pior, depende muito. Estavámos tudo indo muito bem, até que a gente se separo. PQP! A gente se perdeu na nossa própria mentira. 

"Oii, sou Kelly, tudo bem?" 

"Oi, Kelly, cadê o Greg?"

"O meu irmão? Ta ali ó ~~apontando~~"

"Irmão? Mas ele disse que vocês eram primos ~~cara de confuso~~"

”~~ eu matando o Thiago via pensamento~~ Então…. é que assim, a gente é primo, sabe? Mas é que a gente é tão grudado, mais tão grudado que é como se fossemos irmãos, sabe? ~~cara de ‘Será que colou?’~~”

"Ahh entendo, claro! hahaha" 

”~~ufaa~~ HEHE”

"Mas e ai, Kelly, faz faculdade?"

"Faço sim, to no 2º ano na USP, sabe? Bem legal lá!"

"Nossa, que foda!! Mora sozinha aqui?"

"Não, moro com o Ví!" ~~PÁAAA (VIIII??? MANO!!!)~~

"Ví? Que Ví?" 

"O Greg. É que eu chamo ele de Ví, por que ele tem Vinícius como segundo nome, ai como sou prima/irmã, nome exclusivo pra mim, sabe? hahaha" 

"Ahh tá!! hahaha" 

Depois de muitas cervejas, risadas, enrolações e mentiras. Eu sai da balada com umas 15 pessoas em direção a padaria (?). Comemos e era muito engraçado, por que a minha bebida já tinha passado e galera ainda ficava me chamando de “KELLY”. Só que imagina: Eu, pós-balada, morta de sono, 3x mais lerda que o normal, tendo que racionar que eu não conhecia ninguém ali, mas que todo mundo me conhecia por Kelly e que cada vez que eu ouvia esse nome eu tinha que responder um “Oi?” na maior rapidez??? Aquilo tava ficando perigoso! 

Hora de ir embora. 

Me despedi de todos “Tchau Kelly! Tchau Greg! Até a próxima!!” Até que um cara me vira pro Thiago e fala “Greg, cadê o Vinícius?!” e ele me responde “Vinícius?? Que Vinícius?? Não tem Vinícius aqui!” ai o cara responde “Ah nossa! Desculpa, achei que tinha.. viajei então!” e eu só pensando “Vamos embora logo!!” 

Lição da noite e fica a dica pra vocês: se for mentir, NÃO beba, por favor! HAHAHA

@reecardoso

março 14, 2013
Esses são os meus fofuxos, o Murillo (Mumu) e o Felipe (Amôzinho).
Murillo, o cabeça da turma, é quem me ajuda a estudar, e o Felipe, é quem me dá apoio moral pra isso, sem ele jamais conseguiria ficar acordada pra estudar tudo o que precisava e sem o Murilo, jamais teria entendido o que é Signo. 
Só eles pra deixarem eu andar com um sapo de pelúcia pendurado no pescoço pela Av, Paulista. Claro que eles ficaram "É sério?" e eu, bem delicada respondi "Claro! Ninguém paga as minhas contas, ninguém tem nada a ver com isso." Até mesmo por que, tem tanta coisa mais bizarra, do que andar com um sapo de pelúcia, pela Paulista que ninguém me notou. Aliás, quase ninguém. Por que um amigo do meu trabalho chegou pra mim hoje na empresa e disse "Te vi ontem na Paulista andando com um sapo verde pendurado no pescoço!" e eu respondi "Simm!! Era o Alfredo!!" HAHAHA ok, sou um pouquinho zoada vai.
O Murillo é aquele amigo que ele sabe de tudo, mas finge que não sabe de nada. Ele não te pergunta, a não ser que você queira contar. Curte música e canta. Nunca disse isso pra ele, mas ele, quando canta, fica com a voz do Seu Jorge. 
O Felipe é o meu amô. O que esse menino me atura só Deus sabe. É o tempo todo "Ô Feeee!". Pra ele eu falo tudo, desabafo e ele fica quetinho. Ele é meio lerdinho assim que nem eu, sabe? Mas é gente fina. Curte funk e é jogador (hahahaha #mentira). 
Bom, esses são apenas 2 dos meus amigos da faculdade. Um dia eu faço um outro post especial pros outros 3 integrantes do meu grupo, assim ninguém fica com ciúmes, entendeu bem Nicole? hahaha 
Um beijo especial pros dois e até a próxima. 
@reecardoso

Esses são os meus fofuxos, o Murillo (Mumu) e o Felipe (Amôzinho).

Murillo, o cabeça da turma, é quem me ajuda a estudar, e o Felipe, é quem me dá apoio moral pra isso, sem ele jamais conseguiria ficar acordada pra estudar tudo o que precisava e sem o Murilo, jamais teria entendido o que é Signo. 

Só eles pra deixarem eu andar com um sapo de pelúcia pendurado no pescoço pela Av, Paulista. Claro que eles ficaram "É sério?" e eu, bem delicada respondi "Claro! Ninguém paga as minhas contas, ninguém tem nada a ver com isso." Até mesmo por que, tem tanta coisa mais bizarra, do que andar com um sapo de pelúcia, pela Paulista que ninguém me notou. Aliás, quase ninguém. Por que um amigo do meu trabalho chegou pra mim hoje na empresa e disse "Te vi ontem na Paulista andando com um sapo verde pendurado no pescoço!" e eu respondi "Simm!! Era o Alfredo!!" HAHAHA ok, sou um pouquinho zoada vai.

O Murillo é aquele amigo que ele sabe de tudo, mas finge que não sabe de nada. Ele não te pergunta, a não ser que você queira contar. Curte música e canta. Nunca disse isso pra ele, mas ele, quando canta, fica com a voz do Seu Jorge. 

O Felipe é o meu amô. O que esse menino me atura só Deus sabe. É o tempo todo "Ô Feeee!". Pra ele eu falo tudo, desabafo e ele fica quetinho. Ele é meio lerdinho assim que nem eu, sabe? Mas é gente fina. Curte funk e é jogador (hahahaha #mentira). 

Bom, esses são apenas 2 dos meus amigos da faculdade. Um dia eu faço um outro post especial pros outros 3 integrantes do meu grupo, assim ninguém fica com ciúmes, entendeu bem Nicole? hahaha 

Um beijo especial pros dois e até a próxima. 

@reecardoso

março 13, 2013
O que é comunicação?

Pergunta simples e muito fácil de responder, não é? Claro que não. Comunicação pra uma pessoa que está estudando sobre, é o pior bicho de sete cabeças que existe. Acreditem! E foi por causa dessa pergunta que fiquei por mais de 24 horas sem dormir. 

Terça-feira, minha professora marcou uma prova. Passei a madrugada inteira estudando: funções da comunicação, atos da comunicação, signos, códigos, referente, significante, significado, ícones (…) e lendo um livro chamado “O que é comunicação?”. Entendi tudo, só não estava conseguindo decifrar o que era “Signos”. Quebrei minha cabeça pra tentar entender, passei a madrugada, a manhã e a tarde toda só tentando entender e nada. Cansada, pedi ajuda pra um amigo e sabe o que ele disse? Que “Signo” tem o mesmo significado da palavra SIGNIFICADO. Eu passei mais de 24 horas acordada pra descobrir que SIGNO TEM O MESMO SIGNIFICADO DE SIGNIFICADO. O absurdo já começou ai, né. 

Cheguei na faculdade, aquele frio na barriga absurdo antes de começar a prova, mais de 24 horas acordada e só Deus sabia como eu estava acordada sentada naquela cadeira disposta pra fazer uma prova. Como de costume, entreguei tudo na mão de Deus e disse “Seja o que Deus quiser, a minha parte eu fiz!” e fiquei esperando a professora chegar. 

Passou poucos minutos, ela entra na sala. Arruma suas coisas, espera todo mundo ficar quieto, faz aquelas perguntas sarcásticas pra sala do tipo "Preparados pra prova?" ou "Estudaram?" e logo em seguida fala "Meus queridos alunos, a prova será em grupo. Será uma atividade valendo nota em função do que vocês estudaram." Não preciso nem dizer qual foi a minha reação, né? Eu estava acabada, quase sem vida e ela me fala que seria em GRUPO? Sacanagem, meu! Não que não fosse estudar caso já soubesse que seria em grupo, mas poxa, não teria virado a noite, né? 

Mas na madrugada de terça-feira, eu pude entender que aquela seria a primeira madrugada de muitas da qual eu passaria a noite acordada estudando o conceito básico de “O que é comunicação?”. Relaxa, Renatinha, só tem mais 3 anos e 10 meses pela frente. Não fica pensando, por quê falta pouco. 

@reecardoso

março 10, 2013
Paulistana (quase) nata.

Esse fim de semana foi uma beleza. Sai da Zona Sul (Centro) e fui conhecer a Zona Norte e, outros lugares da Zona Leste. Tudo de metro e o melhor, sozinha. E por incrível que pareça, nada me aconteceu. Será que to ficando esperta, gente??? Acho que não chega a tanto, mas que é muito suspeito é, né?!

Esses dias um amigo me ensinou a recarregar o bilhete único e a usar ele na catraca. Foi vergonhoso, eu ficava esfregando o bilhete no sensor e ele ficava falando "Para! Não precisa esfregar é só por em cima assim ó ~~fazendo o gesto~~" Imagina quem viu a cena? No mínimo me xingou de burra por pensamento. 

Mas começo é assim mesmo, tem muita coisa que eu ainda não sei como funciona por aqui. Aos poucos vou aprendendo. Andar de metrô já posso dizer que sei. Próximo passo, vai ser aprender a andar de ônibus e descer no ponto certo. Será que consigo? 

@reecardoso